Ir para conteúdo

Notícias

Com monitoramento em tempo real, Prefeitura aumenta a segurança ao cidadão

Imagens das câmeras instaladas no Cemitério Municipal sendo monitoradas na Muralha Digital.

Nas Ruas da Cidadania, no Setor Histórico, em praças, nas escolas, na Rodoviária, no cemitério e nas principais ruas da cidade elas estão lá. São os olhos virtuais voltados à segurança, melhoria no trânsito e acompanhamento em tempo real de situações emergenciais, aliados ao trabalho apurado e incansável dos profissionais que trabalham 24 horas por dia, em todos os dias da semana.

Em 2021, o projeto da Muralha Digital ganhou forma. Com foco na repressão de situações de vandalismo, depredações, furtos, roubos e outros crimes, o sistema de videomonitoramento da Prefeitura está sob os olhos atentos de guardas municipais do Centro de Operações da corporação, de onde são despachadas viaturas e equipes para averiguações e abordagens. “O videomonitoramento possibilita a geração de informações estratégicas síncronas para um processo de tomada de decisão mais ágil”, afirma o secretário municipal da Defesa Social e Trânsito, Péricles de Matos.

A franca expansão da Muralha Digital conta ainda com câmeras nas viaturas, para monitorar o atendimento a uma ocorrência do início ao fim, e no colete balístico dos guardas (body cams). Após a fase inicial de testes, devem começar a ser utilizadas efetivamente em 2022.

Foi com a contribuição desse poderoso instrumento de vigilância e com a inclusão de novos profissionais que ações da Guarda Municipal se tornaram mais precisas e otimizadas, como a repressão à pichação. Os guardas aumentaram o número de ocorrências diárias atendidas e as prisões em flagrante, com destaque para a repressão de crimes contra a mulher e daqueles relacionados ao patrimônio público.

Muralha Digital em tópicos

Os dados se referem ao período acumulado dos dez primeiros meses do ano.

- 462 câmeras instaladas em pontos como o Setor Histórico e as ruas XV de Novembro Marechal Deodoro.
- Equipamentos com reconhecimento facial na Rodoviária, praças Tiradentes e Redentor e nas dez Ruas da Cidadania.
- Câmeras panorâmicas instaladas no Centro Cívico e câmeras térmicas no Cemitério Municipal São Francisco de Paula, que permitem detectar movimentos mesmo em pontos de escuridão.
- Integração com equipamentos de fiscalização eletrônica de trânsito e câmeras com reconhecimento de placas de veículos.
- Todas as escolas municipais com câmeras, além de 185 botões do pânico.
- Sistema permite fazer a contagem de pessoas e mantém uma biblioteca de faces criptografada, podendo fazer busca de pessoa por foto.
- Acompanhamento de situações causadas por eventos adversos, como fortes chuvas e vendavais.
- Integrados ao sistema os botões do pânico concedidos a mulheres com medida.
- Em breve: 675 dispositivos móveis para serem utilizados nas ações de segurança desenvolvidas pela Guarda Municipal. Serão 515 câmeras de corpo (body cams) e 160 câmeras veiculares (80 internas e 80 externas).

Cuidar das pessoas e da cidade

As ações da Defesa Social em 2021 incluíram a proteção, a prevenção, o atendimento e o incentivo necessários à população em situação de vulnerabilidade social. Em busca da reinserção social, foram fortalecidos os projetos coordenados pelo Departamento de Política Sobre Drogas. Parcerias com a sociedade civil organizada possibilitaram exponenciar ações culturais, alavancar sonhos, elevar a autoestima e contribuir com a busca por uma colocação no mercado de trabalho e do desenvolvimento de habilidades pessoais.

Já as ações de proteção da Defesa Civil foram estruturadas de modo a inibir desastres e a preparar a comunidade para resolver, da forma mais eficaz e rápida possível, emergências de diversas naturezas. O cuidado com a cidade incluiu também a intensificação das ações da Coordenadoria de Segurança de Edificações e Imóveis (Cosedi) nas vistorias em estruturas que podem apresentar problemas e correr risco de desabamento, com prioridade para a fiscalização preventiva em habitações coletivas.

Formação de novos profissionais e aprimoramento

Em 2021, 89 novos profissionais incorporados à Guarda Municipal (29ª turma). A corporação desenvolveu o primeiro curso para instrutores de armamento e tiro. Considerada de nível altamente especializado, a capacitação ofertada pelo Centro de Formação e Desenvolvimento Profissional da GM abrangeu conhecimentos em tipos diversos de armamento. Além de participantes da GM de Curitiba, o curso foi frequentado por guardas municipais de 16 outros municípios do interior do Estado.

Ambiente virtual

Impulsionada pela pandemia de covid-19, a equipe do Centro de Formação desenvolveu um ambiente virtual de aprendizagem próprio, com estrutura e orientações do Instituto Municipal de Administração Pública (Imap). A plataforma serviu de base para os cursos de formação dos mais de 1,5 mil guardas da capital e que se estenderam ao público externo: 160 voluntários participaram de um curso específico da Defesa Civil.

Durante o ano, foram 12 cursos na plataforma on-line, contemplando 3.207 alunos em mais de 440 horas-aula de conteúdo. Além dos cursos, a equipe do Centro de Formação desenvolve programas de prevenção na comunidade com as equipes do Teatro de Fantoches, da Guarda Municipal Mirim e do projeto Contação de Histórias, lançado em 2021.

Guardas capacitados

O Centro ofertou 39 cursos de formação, nivelamento e aperfeiçoamento, contemplando 1.549 alunos, entre guardas municipais de Curitiba, Região Metropolitana e interior do Paraná, agentes da Superintendência de Trânsito, servidores da Prefeitura e comunidade.

Armamento moderno

Realizado o 1º pregão eletrônico internacional da história da Prefeitura, para aquisição de 1,3 mil pistolas calibre 9 mm.

Quais foram os resultados deste trabalho?

- 167 ocorrências diárias atendidas pelos guardas municipais, aumento de 3,5% na comparação com o ano anterior.
- Sete prisões diárias de suspeitos de crime, acréscimo de 10% sobre o ano de 2020.
- Situações envolvendo uso e tráfico de drogas aparecem em primeiro lugar entre os flagrantes. Na sequência estão casos de violência contra a mulher e furtos.
- Aumento de 72% nos flagrantes de pichação, de 2020 para 2021 (de 54 para 93 casos).
- Redução de 5% nas ocorrências de dano, em relação a dezembro de 2020.
- Ações de repressão a crimes de furto e dano ao patrimônio público aumentaram 17%. Foram flagrantes de vandalismo, furto, pichação e outros que totalizaram 229 casos, contra 195 no ano anterior.

Proteção à mulher vítima de crime

Os casos de violência contra a mulher chamam a atenção por ocuparem o segundo lugar entre as principais naturezas criminais que geraram encaminhamento à autoridade policial.

Em 2021, foram 114 prisões por agressão física ou verbal cometida contra a mulher. Outros 164 flagrantes foram de agressores por violação de medida protetiva concedida pelo Poder Judiciário. E houve 21 prisões pelo crime de importunação sexual e duas por estupro.

Apoio para superar o medo

Em 2021, a Patrulha Maria da Penha fez 10.475 atendimentos à mulher vítima de crime, como encaminhamentos do agressor à delegacia, orientações, visitas e telefonemas. É um aumento de 46% em relação ao ano anterior. Foi com as visitas, os conselhos, as conversas, a tranquilidade e o amparo da Patrulha Maria da Penha que a recepcionista e confeiteira Débora Aparecida Moraes, de 32 anos, conseguiu superar o medo do ex-marido. Após uma separação não amigável, ela sofreu por cerca de quatro anos com ameaças físicas, a presença do ex rondando a casa e o trabalho.

Por três vezes, Débora precisou de atendimento emergencial. “Os guardas saíram de outro compromisso, buscaram minha filha na escola e sempre foram muito rápidos, além do suporte periódico das equipes que passavam para saber se estava tudo bem e me deram vários conselhos. Sei que se alguma coisa acontecer, eles vão me ajudar”.

Forças integradas para um trabalho melhor

Em 2021, houve 270 operações de Ação Integrada de Fiscalização Urbana (Aifu), 183 ações integradas de interesse público, 26 apoios às polícias Civil e Militar e oito operações Metal Nobre, voltadas à repressão de furto e receptação de materiais furtados do patrimônio público.

Contra a covid-19, 101.245 pessoas orientadas em dez meses pela Guarda Municipal, em 22.203 locais, como vias públicas, eixos comerciais, terminais do transporte coletivo e residências.

Proteção aos animais

Em quatro meses, os guardas municipais da Patrulha de Proteção Animal (PPA) fizeram 289 atendimentos - média de 72 a cada 30 dias. A situação mais comum atendida pelas equipes é a de maus-tratos. Na rotina dos profissionais também são verificadas denúncias de comércio ilegal, abandono e situações diversas envolvendo tanto animais domésticos como silvestres.

Guardas inibem infrações de trânsito

A falta do cinto de segurança foi a principal infração observada por guardas municipais no trânsito da cidade (4.779 casos) em 2021. Na sequência aparece o uso do celular pelo condutor do veículo (2.299 infrações). No total, 21.282 autos de infração foram emitidos após a constatação de irregularidades diversas. Os guardas flagraram 392 situações de problemas envolvendo a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), documento obrigatório para dirigir no País. São casos de pessoas dirigindo sem possuir CNH ou ainda com o documento vencido, suspenso ou cassado.

Com as fiscalizações, 834 veículos foram guinchados por apresentarem situação irregular. Também houve trabalho desenvolvido sobre veículos que acumulavam uma grande quantidade de débitos, os chamados grandes devedores, resultou em remoções como de uma moto com R$ 145,9 mil em débitos abordada para fiscalização no bairro Umbará, em agosto.

Ouvidoria e Corregedoria

Atendimento a 406 reclamações e recebimento de 589 elogios à Guarda Municipal em 2021. Foram 458 procedimentos e análises pelo corregedor, 326 pela Comissão de Apuração Disciplinar e 28 pela Comissão de Processo Disciplinar.

Atuação estratégica

O Departamento de Inteligência da Defesa Social atuou em apoio a 1,6 mil ocorrências relacionadas à identificação, qualificação de responsáveis e acompanhamentos de situações como poluição visual, roubo de correntes, furto de fiação de cobre, comercialização ilegal de terrenos, festas clandestinas e outros.

A luta contra as drogas e os recomeços de vida

Em 2021, 2.654 pessoas foram atendidas pelo projeto Nova Morada Vida Nova, desenvolvido em dois hotéis sociais com 150 vagas localizados no Centro. A coordenação é do Departamento de Política Sobre Drogas. A população atendida pode permanecer no local no período das 18h às 9h. Além das atividades de reinserção ofertadas, eles contam com refeições e atividades recreativas. 

Desde o início do ano, 344 pessoas conseguiram a autonomia, com trabalho e moradia, após passar pelo projeto. Um dos egressos do Nova Morada Vida Nova é M. A. S. P., 25 anos. O hotel social o ajudou a ter um local protegido para dormir enquanto procurava emprego. “O projeto me ajudou muito, me dando um lugar para ficar e me alimentar durante a noite. Não esperava que fosse sair tão rápido, mas em pouco tempo consegui um emprego como vigia”, relata.

Abrindo oportunidades

O processo de reinserção passa pela educação e por capacitações. São estimuladas atividades educativas, como cursos de leitura, escrita e interpretação de texto, junto da oferta de exames de equivalência aos participantes do programa que não tenham concluído o ensino fundamental.

Atendida pelo Nova Morada Vida Nova, Lucimara Dercídio, 54 anos, acredita que o certificado contribuirá na busca por um emprego. “Meu histórico escolar original foi dado como arquivo morto e não consegui recuperá-lo. Até perdi uma chance de começar um serviço por conta disso”, comenta ela.

Desempregada há mais de dois anos, ela ficou satisfeita com o curso. “Mesmo tendo problemas de visão, os professores me ajudaram durante as aulas”, acrescenta.

No caso de Renato Junior dos Santos, 41 anos, o retorno aos estudos aconteceu 20 anos depois de ter interrompido a ida às aulas. “Foi muito bacana reaprender matérias que eu não tinha visto faz muito tempo”, explica ele. Santos tem planos de continuar a aprender. “Tenho uma proposta de emprego, mas o que eu quero mesmo é continuar a estudar. Mesmo tendo 41 anos, ainda pretendo me formar”.

Mais trabalho contra as drogas

- 7.675 pessoas atendidas pelo projeto Intervidas, que passou a funcionar junto ao Mesa Solidária (Praça Plínio Tourinho), com biblioteca itinerante e apresentações musicais diversas.
- 84 parcerias com a sociedade civil organizada estabelecidas para amplificação dos projetos do Departamento de Política Sobre Drogas. Com elas, foi possível desenvolver ações de elevação da autoestima e cuidado pessoal, como o corte de cabelo e barba (Dia do Bigode), esmaltação de unhas e outros cuidados (Dia da Beleza) e a aproximação com empresários (Hope Riders).
- Criação do projeto “As Valentinas”, voltado às mulheres em situação de vulnerabilidade, composto por ações de convivência e oficinas para a melhora da autoestima e da confiança em si mesmas.

Cidade resiliente com a Defesa Civil

Pela Muralha Digital também passa a construção de uma cidade mais resiliente a intempéries, trabalho ao qual se dedica a equipe da Defesa Civil. Em 2021 foi criado o Comitê Municipal de Prevenção, Preparação e Resposta Rápida (P2R2), para prevenção, preparação e resposta a emergências que envolvam produtos perigosos.

A Defesa Civil municipal teve reconhecimento nacional por duas iniciativas de auxílio para situações de emergência, consideradas inéditas no País: o Plano de Auxílio Mútuo dos Hospitais (PAM-Hosp), com a adesão de aproximadamente 30 instituições, e a Rede Municipal de Radioamadores de Curitiba (RMERC), disponível para dar suporte na transmissão de alertas de emergência.

Comunidade é parceira

Para a sensibilização da percepção de risco na população,  1.016 pessoas capacitadas/orientadas em temas como prevenção e combate a incêndio, primeiros socorros e prevenção a acidentes domésticos.

Outro destaque foram os simulados de preparação a emergências no Rio Barigui/Tatuquara e Campo de Santana (vazamento de óleo), Parque Barigui (acidente com resgate de vítima), no Hospital Santa Casa (plano de emergência) e Câmara de Vereadores (incêndio). A Defesa Civil esteve ainda nas ações de fiscalização do transporte, manuseio, armazenamento e comércio de produtos perigosos, com a integração de órgãos parceiros. E começou o trabalho de vistoria em empresas que fazem serviços de impermeabilização com produtos considerados perigosos (inflamáveis).

Edificações protegidas pela Cosedi

Em 2021, a produtividade da equipe técnica da Coordenadoria de Segurança de Edificações e Imóveis (Cosedi) dobrou, com a implantação do Sistema Eletrônico de Notificações e Autuações. Cerca de 15 vistorias diárias em edificações e imóveis - 1.543 no ano. São verificadas instalações prediais e estruturas que podem apresentar problemas e risco de desabamento, com prioridade para a fiscalização preventiva em habitações coletivas.

Em quatro meses, os técnicos vistoriaram 239 unidades de interesse de preservação na cidade. A média de 55 vistorias mensais inclui bens e entornos de bens tombados num esforço concentrado que reflete a preocupação da administração municipal com a estrutura desses locais históricos.

 

Fonte: Prefeitura de Curitiba