Ir para conteúdo

Em fase experimental, Curitiba consolida Centro de Controle da Muralha Digital

Na primeira fase da Muralha Digital serão 488...
Na primeira fase da Muralha Digital serão 488 câmeras de monitoramento. Foto: Ricardo Marajó / SMCS
Na primeira fase da Muralha Digital serão 488 câmeras de monitoramento
Autoridades viram de perto o funcionamento da unidade
Na primeira fase da Muralha Digital serão 488 câmeras de monitoramento
Autoridades viram de perto o funcionamento da unidade

A central de videomonitoramento que compõe o projeto Muralha Digital está em teste e em breve poderá funcionar plenamente. Grande parte das modernas câmeras que integram o projeto já foi instalada. Nesta fase, elas estão sendo colocadas em escolas, Ruas da Cidadania e outros equipamentos. Cerca de 83% das 488 câmeras previstas estão instaladas.

O prefeito Rafael Greca, os secretários de Administração e de Gestão de Pessoal, Alexandre Jarschel de Oliveira, e da Defesa Social e Trânsito, Guilherme Rangel, e o presidente do Instituto das Cidades Inteligentes (ICI), Fabrício Zanini, puderam ver de perto o funcionamento da unidade, localizada no bairro Cabral, na tarde desta terça-feira (9/12). O Centro de Controle Operacional é o coração da Muralha Digital.

“Já nos primeiros dias do ano novo, esta grande central de acompanhamento da Muralha Digital de defesa social de Curitiba será inaugurada, com o uso do que há de mais moderno”, anunciou o prefeito.

“Será um completo sistema de proteção social contra catástrofes ambientais, de prevenção de cheias e de enchentes, de repressão de assaltos e ao tráfico de drogas. A ideia é a de uma cidade defendida com o que há de mais moderno no mundo em termos de tecnologia da informação, inclusive com reconhecimento facial”, comemorou Greca, que acompanha de perto cada etapa da implantação da Muralha Digital.

Parceria entre a Prefeitura de Curitiba e o ICI, o projeto consiste em sistemas avançados de tecnologia da informação para a análise de imagens com câmeras inteligentes de alta resolução, com reconhecimento facial, de placas de veículos, panorâmicas e térmicas.

Na primeira fase da Muralha Digital serão 488 câmeras, das quais 406 estão sendo instaladas em escolas municipais. Outras 82 estarão em locais variados, como Ruas da Cidadania, praças, rodoferroviária, Largo da Ordem e cemitério. A escolha dos locais levou em consideração os índices de criminalidade.

Com câmeras potentes instaladas em locais estratégicos, a cidade poderá aprimorar a gestão do trânsito, do transporte coletivo, a segurança preventiva, a defesa civil, a assistência social, por meio de informações e imagens em tempo real. “Teremos ampla capacidade de observação da cidade do ponto de vista da segurança pública e viária”, declarou Rangel.

 

Fonte: Prefeitura de Curitiba

Compartilhe: