Ir para conteúdo

Notícias

ICI comemora 24 anos de atividades

Instituto foi fundado em junho de 1998

Neste dia 1.º de junho, o Instituto das Cidades Inteligentes (ICI) completa 24 anos de atuação. Criado originalmente com o nome de Instituto Curitiba de Informática, o ICI expandiu suas atividades para além da capital paranaense e vem contribuindo com as cidades por meio do desenvolvimento e implantação de soluções inteligentes.

“A tecnologia é o meio que utilizamos para apoiar a transformação digital das cidades, trazendo mais benefícios e comodidade aos cidadãos”, declara o diretor-presidente do ICI, Alexandre Amorim. “Mas a tecnologia só oferece resultados por meio da ação das pessoas, por isso cumprimentamos todos os colaboradores, clientes, conselheiros e parceiros que fazem parte da nossa trajetória”, completa.

São mais de 200 soluções desenvolvidas e implantadas, como sistemas de informação, portais, aplicativos e serviços de infraestrutura. As inovações desenvolvidas junto à Prefeitura de Curitiba colocaram o município em posição de destaque em diversos rankings nacionais e internacionais de cidades inteligentes. Curitiba já foi reconhecida por ter a primeira rede de internet pública do Brasil, o melhor portal de transparência do País, e o aplicativo Saúde Já ganhou o Latam Smart City Awards.

“São reconhecimentos que nos trazem muito orgulho e contentamento. Por isso, seguimos com o nosso propósito de melhorar a vida das pessoas e transformar as cidades, buscando sempre ampliar e evoluir nossas entregas, tendo a inovação como diretriz estratégica da nossa gestão”, conclui o presidente.

Evento comemorativo

Para celebrar o aniversário, o Instituto promoveu um evento online com a participação da gerente geral da área de Customer Success de Reality Labs da Meta (ex-Facebook), Mariana Assis. Participaram também o diretor-presidente, Alexandre Amorim, e o diretor de Sistemas e Inovação, Mauricio Pimentel.

O tema do encontro foi o Metaverso, e a equipe do ICI pode acompanhar uma demonstração de ambiente virtual desenvolvido pela Meta. Mariana falou sobre o trabalho desenvolvido pela empresa: “É uma tecnologia que contribui com a construção de um mundo com mais oportunidades, inclusão e senso de comunidade. Estamos falando de um mix de realidades. Teremos que juntar diversas tecnologias, como reconhecimento facial, por exemplo, para que a transição entre as realidades aconteça de maneira fluida.”

Mariana também comentou que, antes de considerar a adoção do Metaverso, as organizações precisam dar um primeiro passo – o da transformação digital. “É preciso ser cada vez mais digital, evoluir os processos para, então, chegar a esse ambiente”, recomendou.

Amorim disse que o evento é um marco para o Instituto: “Nós já estamos trabalhando para construir essa base, com a adoção de novas tecnologias, novos regimes de trabalho, tendo a inovação no DNA para chegarmos ao Metaverso. Precisamos nos preparar, planejar e nos antecipar para que possamos ditar tendências tanto no ambiente corporativo como na prestação de serviços para a gestão pública.”